5 erros graves dos e-commerces de Moda

29 setembro, 2017

Embora a internet tenha se tornado um dos principais canais para venda de moda e acessórios, estes produtos ainda são os que mais possuem limitações na hora da venda on-line. Muita gente ainda não se sente à vontade comprando uma roupa que não pode provar. Para piorar, alguns e-commerces desta área ainda deixam de fornecer informações básicas e de cumprir requisitos tidos como cruciais pelo consumidor. Veja quais são os 6 principais erros dos e-commerces de moda e acessórios:

 

1- Não ter boas fotos e não especificar bem o produto na descrição.

      

Fotos sem qualidade deixam o produto sem apelo estético

Este erro é fatal!
É imprescindível mostrar a peça ou acessório sob vários ângulos e com uma boa iluminação. Evite fotografar as roupas em cabides e araras: o ideal é sempre usar uma modelo, pois é muito importante que o consumidor possa ver como é o caimento da peça no corpo. Uma ótima sacada é o que faz a marca Amaro, que coloca junto às fotos de cada produto um mini-video com uma modelo vestindo a peça (veja aqui).
Ah, lembrando que especificar o tipo de tecido e sua composição também é essencial para que o cliente possa ter uma ideia melhor da peça, e na hora em que receber o produto não pense que esteja levando “gato por lebre”.
Nunca se esqueça de que o e-commerce apresenta a grande desvantagem de não possibilitar que o cliente toque ou experimente o produto. Por conta disso, quanto mais informação sobre o seu produto você der ao seu consumidor, maiores serão suas chances de vendê-lo.
2- Não especificar medidas e tamanhos.

A Amaro dá um bom exemplo de como detalhar medidas

O tamanho P ou 38 da sua loja pode ser o tamanho  40 da sua concorrente, que por sua vez, pode ser o 42 de uma outra marca… Isso causa uma grande confusão e estresse na cabeça do cliente! Então, de nada adianta colocar aquela blusa maravilhosa que vende como água, e escrever na descrição “tamanho P”. Você irá ganhar muitos pontos com seu cliente se descrever as principais medidas da peça de maneira mais detalhada. Busto, cintura e quadril são as medidas mais importantes. Há marcas que até vão mais a fundo nesse detalhamento, colocando inclusive o comprimento da peça e distância de ombro a ombro, por exemplo. Caso todas as suas peças sigam uma grade de tamanho única (isto é, todos os modelos sigam o mesmo padrão de medidas), você nem precisa especificar produto a produto: basta colocar uma seção no menu com a grade geral.
3- Falta de recursos de busca ou dificuldade para encontrar um produto

Barra de busca do site da Marisa: bem acessível e visível.

Não tem nada pior do que entrar numa loja virtual com centenas de produtos e ter de ficar meia hora procurando pelo que se quer. É quase a mesma sensação de estar num closet bagunçado e apinhado de coisas… Otimize o tempo do seu consumidor e coloque um campo para buscas de palavras-chave bem à vista no site. Ah, e também não adianta só inserir uma linda caixinha de campo para pesquisa, se ela não funcionar ou os itens não estiverem cadastradas com as palavras-chave certas. Pode parecer uma dica banal, mas isso acontece muito….
4- Não divulgar contatos de suporte e atendimento breves.

Um SAC como o do OqVestir gera mais segurança no cliente.

Especialmente se a sua loja for 100% online. Quanto mais opções de contato você fornecer ao seu cliente (e quanto mais rapidamente esta forma permita que ele entre em contato com a marca), mais seguro ele se sentirá para efetuar a compra. Muita gente pensa duas vezes antes de comprar em uma loja online que só fornece um mero formulariozinho para o cliente se comunicar com ela. Colocar um chat online no site ou deixar disponível um número de whatsapp para contato são opções mais diretas e que geram maior segurança no cliente.
5- Não cumprir o prazo de entrega.


Esta aí uma coisa que tira o cliente do sério! Segundo a pesquisa Webshoppers, uma das principais reclamações dos consumidores on-line é o atraso na entrega do produto. Por isso, nunca divulgue um prazo menor do que aquele em que você realmente consegue entregar o produto. O aconselhável, na verdade, é fazer o contrário: dê um prazo um ligeiramente maior do que realmente necessita e entregue a mercadoria alguns dias antes. Isso evitará transtornos se houver algum tipo de descaminho, e na melhor das hipóteses deixará o cliente satisfeito, caso ele receba o produto antecipadamente.
6- Site lento e processo de compra burocrático.
Sabemos que coletar algumas informações do cliente na hora do pagamento é uma praxe e algo essencial. No entanto, quanto mais ágil for o processo e menos redirecionamentos para sites e portais de pagamentos externos você fizer, mais chances você terá de realizar a venda. Em outras palavras, quanto menos cliques o necessitar para comprar, maior será a possibilidade de que ele compre.

 

Fontes consultadas:

Comente esse assunto no Facebook

O que achou? Comente aqui no blog!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados